A incompreensão dos jogos cinematográficos

the order

Foi-se o tempo em que videogames eram simples joguetes nos quais o que importava era o desafio, a identificação de padrões, a decoreba de movimentos e a busca por uma pontuação mais alta. Os mais saudosistas ainda podem dizer que os jogos não deveriam ter se distanciado disso, mas a verdade é que hoje há uma grande pluralidade.

Existem muitos games, especialmente para celular, que se atém às fórmulas primitivas, o que é excelente. Dessa forma, não abandonamos as origens, até porque esse tipo de jogo é extremamente divertido. No entanto, há muito tempo os videogames também conquistaram o status de contadores de histórias.

Alguns acreditam que jogos não precisam disso, e quem quer acompanhar uma história deve ler um livro ou assistir a um filme. Esse é um pensamento bastante antiquado em tempos de títulos como The Last of Us, Metal Gear Solid e The Witcher. No entanto, mesmo entre os que não pensam dessa forma, ainda existe um tabu que se ergue quando falamos de games cinematográficos.

Uncharted: Drake’s Fortune inaugurou uma forma de se contar histórias de maneira extremamente linear e com muitas intervenções como os quicktime events, o que iria influenciar diretamente vários jogos da geração. Outra franquia pioneira no quesito storytelling ganhou um novo fôlego com Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots, lançado em 2008, que também sofreu críticas em relação ao fato de ter muitas cutscenes.

Talvez o jogo que tenha enfrentado a maior resistência nesse aspecto seja The Order 1886, que foi massacrado por boa parte da imprensa especializada apesar de ser uma experiência de jogo incrível. O que as pessoas não compreendem é que há uma nova forma de se jogar, e isso já faz mais de uma década.

É preciso entender que esse tipo de narrativa apresenta uma proposta específica, e não se pode esperar outra coisa. Existem, sim, formas de se contar histórias com mais gameplay e menos intervenções cinematográficas, da mesma forma que há muitos caminhos a se seguir em qualquer gênero e eles são do jeito que são com base em decisões de desenvolvedores.

Quando se está diante de um jogo desse tipo, é necessário abrir mão de alguns dos valores utilizados para avaliar outros games. Só dessa forma se pode mergulhar de cabeça naquela experiência e torná-la única e envolvente. Essa incompreensão é o que torna as críticas a esses títulos inválidas.