Call of Duty: Advanced Warfare, tecnologias nem tão futurísticas

2693397-call-of-duty-advanced-warfare-multiplayer-screenshots-7

Não é de agora que as obras de ficção científica inspiram o mundo a criar tecnologias inovadoras e revolucionárias. Call os Duty: Advanced Warfare é um dos jogos que poderiam entrar para esta lista, já que a história do jogo se passa no ano de 2054 em meio uma crise terrorista. Para combater essa ameaça, o governo dos EUA contrata uma companhia militar privada para auxilia-los, que se vale de equipamentos sofisticados como armas a lazer e granadas teleguiadas.

Advanced Warfare poderia entrar na lista, não fosse pelo fato de algumas tecnologias mostradas no jogo já existissem, mais precisamente o exoesqueleto utilizado pelos soldados. Claro que ao falar de exoesqueleto uma das primeiras coisas que vem a mente é a armadura do Homem de Ferro, mas calma que ainda não chegamos a este ponto (uma pena, porque isso seria muito legal).

A DARPA (Defence Advanced Research Projects Agency) é responsável pelo financiamento do exoesqueleto Soft Robotic Exosuit, que tem como função principal se ajustar ao corpo do soldado e imitar os movimentos dos tendões e músculos, diminuindo drasticamente o cansaço do corpo e a fadiga. O instituto publicou em seu site que a “Warrior Web” não é uma armadura, mas sim uma roupa de baixo dos soldados para auxiliar a carregar os equipamentos que podem ultrapassar os 100 kg, e este peso pode dobrar ou triplicar de acordo com os movimentos feitos (agachar, andar, correr, ajoelhar-se) e terrenos percorridos.

O projeto do exoesqueleto esta nas mãos do Instituto de Engenharia Bi0lógica da Universidade de Harvard, que desenvolve o protótipo. O vídeo acima mostra como esta a evolução e desenvolvimento do equipamento.