DLCs: os dois lados da moeda

Apesar de serem voltados para diversão, os videogames fazem parte de um cenário econômico muito maior, e por trás de cada jogo existe uma indústria gigantesca que cresce a cada dia. Como em qualquer setor, é necessário gerar lucros e buscar formas de atender o consumidor final. As empresas, produtoras e desenvolvedoras, vêm bolando estratégias para ganhar mais dinheiro e ao mesmo tempo oferecer uma experiência melhor, e alguns dos artifícios mais usados para isso são as DLCs e os Achievements ou Trophies.

Por meio de conteúdo extra para download, é possível ter mais missões ou personagens nos jogos, porém também é preciso pagar para isso. Muitas vezes, as DLCs não passam de formas de ganhar mais dinheiro, e muitas empresas se especializaram em lançar games incompletos e depois disponibilizar conteúdo “extra” que já deveria estar na versão inicial do título.

Porém parece que as DLCs são muito forçadas, e algumas são planejadas antes mesmo do jogo ser lançado. É como se você pagasse duas vezes por um mesmo produto, e além disso tivesse comprado algo que está incompleto de propósito. Pode até ser que algumas empresas realmente pensem no benefício do jogador adicionando conteúdo ao jogo, mas é notável que muitas desenvolvedoras agem de má fé para lucrar mais e poderiam muito bem ter incluído o conteúdo inicialmente do jogo.

Em Street Fighter x Tekken, alguns lutadores que já estavam no disco do jogo só podiam ser destravados através de uma DLC paga. Claro que na maioria dos casos, como em Skyrim, as DLCs realmente adicionam conteúdo que não é fundamental para a aventura principal mas torna a experiência mais rica. Esse tipo de jogada que a Capcom fez é um péssimo hábito que algumas empresas estão tendo, pois obriga o jogador a pagar duas vezes pelo game. Se os lutadores já estavam no CD do jogo, porque só podiam ser liberados sob pagamento de um conteúdo que nem é extra? As DLCs acabaram se tornando um jeito de lucrar com pouco esforço.

Outra forma de aumentar a vida útil do jogo são os troféus e as conquistas. Quem nunca fez algo bizarro só para ganhar um achievement num jogo? Esse tipo de artifício funciona como uma recompensa para quem se esforçou, e mesmo antes da existência disso, as pessoas já se gabavam de seus incríveis feitos. Os troféus vieram para oficializar isso, mas acima de tudo, servem para que o game dure mais tempo.

Mesmo que você tenha terminado o game, pode continuar jogando para cumprir outros objetivos ou conseguir os achievements. Desde que isso não se torne um vício, essa é uma maneira saudável de aproveitar melhor os jogos, e sem pagar nada a mais por isso. Existem muitas formas de melhorar a experiência do jogo, e cabe às desenvolvedoras decidirem se usam esses artifícios para o bem do consumidor ou para o bem do seu orçamento, pois há empresas comprometidas com a qualidade de seus títulos e outras nem tanto. Em meio a tudo isso, quem perde somos nós, gamers.