Estamos esperançosos demais pela revolução da realidade virtual?

Hololens

A tecnologia da moda agora é a realidade virtual. Assim como o sensor de movimento prometeu revolucionar a maneira de jogar há dez anos, com o lançamento do Wii, os óculos de realidade virtual, que já deram as caras em ocasiões anteriores, agora são novamente as meninas dos olhos das empresas de tecnologia. Do Facebook à HTC, passando por Sony e Microsoft, todo mundo quer mostrar que está mergulhando de cabeça nessa nova onda.

No entanto, as coisas não parecem ser tão simples quanto se imagina. O custo do desenvolvimento dessa tecnologia é robusto e os óculos não terão um preço agradável, especialmente logo após o lançamento. Naturalmente, os consoles não virão com os acessórios, portanto quem quiser jogar em realidade virtual vai precisar comprar o dispositivo separadamente.

Estamos no terceiro ano da geração atual, e já existe uma base instalada grande por parte dos consoles concorrentes. A parcela mais ativa do mercado já adquiriu seu videogame e isso significa que eles não têm óculos de realidade virtual. Por outro lado, a biblioteca de games comuns, sem suporte a essa tecnologia, é grande e conta com os principais títulos da atualidade.

Esses fatores podem parecer óbvios à primeira vista, mas a relação entre eles é o que pode condenar os óculos VR ao limbo dos fracassos tecnológicos. Eles chegarão ao mercado com um preço nada atrativo e praticamente sem jogos expressivos. Enquanto os desenvolvedores vão esperar haver uma boa base instalada de consumidores para criar games com suporte à realidade virtual, os jogadores vão esperar os óculos valerem a pena, ou seja, terem diversos títulos de peso.

As empresas grandes dificilmente investirão massivamente em desenvolver seus principais jogos para VR de início, sem saber se existirão pessoas dispostas a comprá-los. Por outro lado, os gamers só estarão a fim de adquirí-los quando houver uma biblioteca interessante. A tendência, a menos que alguém rompa o ciclo de inatividade, é que essa situação perdure por longos anos, trazendo prejuízos aos produtores dos óculos e encerrando as expectativas quanto a essa tecnologia. Sem viabilidade comercial, a realidade virtual permanecerá apenas… virtual.

Vamos torcer para que isso não aconteça.

Quem quiser saber mais sobre esse assunto pode conferir esse vídeo do canal Extra Credits, que eu sempre referencio aqui no PlayerTwo.