FANático #3: Another Metroid 2 Remake (AM2R)

Que a série Metroid é uma franquia que carrega uma fanbase sólida e ávida por novos títulos, isso não é novidade. Depois da trilogia Prime – que elevou a franquia a um novo patamar – e do injustiçado Metroid Prime: Federation Force, o hiato entre ambos os títulos fez com que a esperança por uma volta de Samus ao estilo clássico fosse quase apagada.

Mas não para Milton, vulgo DoctorM64. Milton começou a aprender a programação necessária para desenvolvimento de jogos em 2008, quando decidiu fazer o remake de Metroid 2: Return of Samus. Sendo esse um capítulo importante para a história de Samus, DM64 resolveu que queria jogar uma versão que se assemelhasse com o magnífico remake Metroid: Zero Mission.

Intitulando seu trabalho como “Another Metroid 2 Remake” – porquê essa não fora a primeira tentativa de se fazer um remake desse jogo -, o desenvolvedor levou 8 anos para polir e deixar seu trabalho o mais fiel possível ao original, melhorando todos os aspectos de sua jogabilidade, itens e gráficos.

Adicionando novas áreas, chefes e inimigos, refazer Metroid 2 aos moldes de Zero Mission foi, sem dúvidas, um trabalho de mestre. A movimentação dos personagens e inimigos, assim como a localização de itens, foi feita de maneira que se assemelhasse ao que fora utilizado nos jogos para portáteis. Graficamente o jogo está soberbo, mantendo o aspecto sombrio característico dos cenários da série com sprites muito bem feitas.

A trilha sonora utilizada também foi escolhida a dedo. Vários arranjos foram remixes feitos por outros compositores para fazer parte da ambientação, adicionando ainda mais nostalgia no game.

Sobre a produção, esta começou e se aperfeiçoou utilizando a ferramenta GameMaker Studio, onde o desenvolvedor aprendeu tudo praticamente do zero. Começando desde o básico e brincando até mesmo com ports para o Android – que nunca foram e nem serão lançados -, sua obra prima foi finalmente lançada no ano passado. Durante o processo de criação, ainda foram disponibilizados alguns demos do título e, servindo de tech demo, um pequeno jogo completo intitulado Metroid: Confrotation foi lançado, contando com chefes e segredos espalhados pelo mapa. Sempre postando as novidades em seu blog, detalhes mais técnicos e até mesmo postagens mais pessoais podem ser encontrados lá.

Contudo, da mesma forma que AM2R veio a vida, ele se foi, graças a intervenção da Nintendo, que emitiu uma carta de cessão e desistência para o autor do projeto.  Isso em apenas um dia depois de seu lançamento.

Não é de hoje que a Nintendo – e outras empresas – tem essa prática com quem usa suas IPs para fazer algum jogo novo. Se de um ponto de vista comercial ela tem todo direito de intervir nessas situações, para os fãs que aguardam o lançamento oficial de seus títulos favoritos, essa prática é imperdoável.

Mesmo que o título principal tenha sumido de seu site original, aqueles que conseguiram baixar já disponibilizaram os arquivos nos quatro cantos da internet, então os jogadores ainda podem aproveitar o download.

E se a zoeira não fosse o suficiente, até mesmo um port para o PS Vita surgiu, mas para isso o usuário deve ter desbloqueado o mesmo.

About Kaio Rodrigues

Único sobrevivente dessa página maravilhosa chamada PlayerTwo.com.br, junto com o fundador. Amante de jogos independentes de fan-made, passo parte do meu tempo sonhando em um dia ser jornalista de games.