Player Two recomenda: Franquias para se jogar nas férias

Dezembro está aí. Junto com o natal temos o ano novo e, para uma grande parte das pessoas, isso significa férias! E por que não dispensar o tempo livre em algo produtivo? Nós do Player Two resolvemos selecionar alguns títulos que achamos merecedores de sua atenção, tendo em vista que alguns deles necessitam de um certo tempo para serem apreciados da maneira que merecem. Sem mais delongas, eis as minhas sugestões:

The Legend of Zelda

Um começo clichê, de fato. Mas para grande parte dos jogadores a magia dessa franquia passa despercebida. Vários a conhecem, mas poucos já terminaram mais da metade de seus jogos. Talvez a melhor hora de começar a jogar seja agora, após o lançamento do livro “Hyrule Historia” que finalmente revelou sua linha temporal até então oculta. Se quiser saber a origem de tudo comece pelo último título lançado: The Legend of Zelda: Skyward Sword. Ou você pode seguir as massas e pular logo para o jogo mais popular da série: The Legend of Zelda: Ocarina of Time.

Metal Gear

Esse aqui merece uma atenção especial, devido a complexidade da história e dos elementos nela presentes. Um jogo tático, de espionagem, onde ser sorrateiro vale mais do que ser mortal, demanda um certo tempo para que o jogador se acostume com sua temática. Digo isso por experiência própria. Depois de algumas pesquisas descobri que o primeiro jogo da série – cronologicamente falando – é Metal Gear Solid 3: Snake Eater. A grosso modo, posso dizer que a ordem cronológica da série é: Metal Gear Solid 3: Snake Eater, Metal Gear Solid, Metal Gear Solid 2: Sons of Liberty e finalmente Metal Gear Solid 4: Guns of the Patriots. Não que essa informação esteja errada, mas se quiser se aprofundar mesmo no universo MGS você pode ir além, jogando os títulos que foram lançados para o PSP, MSX, NES e até mesmo para o Gameboy Color.

Megaman

Depois do post da Verônica a respeito do lançamento de Street Fighter X Megaman fui obrigado a colocar essa franquia na lista. Não sei se posso dizer isso, mas a série atualmente é dividida em sagas, cada qual com seu próprio universo temporal. Eis que são:

Ano 20XX: Megaman até Megaman 10
Ano 21XX: Megaman X até Megaman X8
Ano 22XX: Megaman Zero até Megaman Zero 4
Ano 24XX: Megaman ZX e Megaman ZX Advent

Isso porque não foram citados a linha Legends e os jogos da saga Battle Network, além de seus inúmeros spin-offs. Por mais simples que os títulos sejam, jogadores que buscam saber e entender a história de um game – como eu – terão belas surpresas caso prestem atenção em seus diálogos.

Castlevania

Finalizando minhas indicações, trago agora a franquia que junto com Megaman me fez perder horas de sono e estudo, apenas para contemplar zeramentos!

Quando Castlevania: Lord of Shadows foi anunciado fiquei levemente desconfiado e profundamente desapontado com o rumo que a série estava tomando. Foi uma atitude corajosa da Konami declarar que a série estava passando por um reboot e que a jogabilidade de seu novo título nada tinha a ver com seus antecessores. Desconsiderando esses fatores, temos um excelente título cuja história faz jus ao nome que carrega, mas reiniciar a série era realmente necessário, tendo em vista que o excelente Castlevania: Order of Ecclesia tinha sido lançado para o Nintendo DS dois anos antes?

De qualquer maneira, seja qual for o console (NES, SNES, PS1, PS2, PS3, Gameboy, Gameboy Advance, Nintendo DS) você poderá desfrutar de boas horas de jogatina. Se quiser começar bem – não desmerecendo os outros títulos da série – vá para aquele que introduziu o padrão pelo qual o jogo é lembrado hoje: Castlevania: Symphony of the Night. A diversão será garantida.

Bem, essas foram algumas das inúmeras indicações que posso oferecer aos caros leitores. Será que eu poderia ter escolhido franquias melhores? Talvez “melhor” seja uma palavra muito forte, mas com certeza essas foram as que mais me marcaram ao longo dos anos.

About Kaio Rodrigues

Único sobrevivente dessa página maravilhosa chamada PlayerTwo.com.br, junto com o fundador. Amante de jogos independentes de fan-made, passo parte do meu tempo sonhando em um dia ser jornalista de games.