Fim de jogo: Valve 1, Blizzard 0

Quem não estranhou um pouco quando o anúncio de Dota 2 veio por parte da Valve, não da Blizzard? Eu mesmo troquei as duas empresas num post, e quase fui crucificado (certinho?) nos comentários do mesmo. Outra que não se acostumou com a ideia foi a própria Blizzard, que acabou levando a história toda para a justiça americana.

Foram dois anos de brigas entre as duas para validar ou não o registro da patente “DoTA” que a Valve queria, uma vez que foi a dona de Warcraft que praticamente construiu esse nome tão famoso, e finalmente chegamos a um acordo.

Depois de alegações de que a companhia de Gabe Newell queria roubar os anos de boa convivência que a Blizz teve com sua comunidade ao deixar DoTA livre, ambas acabaram entrando em um consenso de que elas devem se preocupar menos consigo e mais com os jogadores. Essas são as palavras de Rob Pardo, vice presidente de game design da Blizzard:

Tanto a Blizzard quanto a Valve reconhecem que, no fim dia, jogadores só querem poder jogar os jogos que estão afim, então estamos felizes em chegar a um acordo que ajuda ambas a se focarem nisso

Essa palavras bonitas querem dizer, basicamente, que não teve como parar a Valve, que está permitida a usar o termo DoTA quando e onde quiser. Já a outra ficou com as batatas, melhor representadas nesse caso com uma mudança de nome de Blizzard DOTA para Blizzard All-Stars, game ainda em fase de produção.

[via Kotaku]

About Luigi Olivieri

Membro fundador dessa página maravilhosa que chamamos de PlayerTwo.com.br. Mestre pokémon, fã de rogue-likes e tuiteiro de plantão.