Hatoful Boyfriend – O Planeta dos “Péssaros”

hatoful

Em um mundo futurista onde aves são os animais mais desenvolvidos do planeta e os humanos são uma raça em extinção sua missão é…… fisgar o coração de um pássaro enquanto precisa sobreviver ao seu segundo ano do colegial.

Hatoful Boyfriend é o típico jogo Dating Sim em que a protagonista tem como objetivo conquistar o afeto de um dos personagens ao seu redor e desenvolver seu relacionamento com este. O diferencial aqui está em seus paqueras serem pássaros falantes enquanto a protagonista é uma humana, o que torna sua ideia original um tanto bizarra.

O mundo ficou assim devido a uma epidemia transmitida pelas aves que atingiu principalmente os humanos e acabou por dizimar grande parte deles. Os que sobraram tentaram criar uma vacina, mas de alguma forma os experimentos realizados para a criação dela resultaram numa mutação nas aves utilizadas como cobaias, gerando um avanço em suas capacidades físicas e mentais.

As aves então tornaram-se tão desenvolvidas ao ponto de criar uma nova ordem mundial, fazendo uma sociedade nova onde elas eram o centro, e onde as lembranças dos experimentos realizados virou razão para odiar a humanidade. Sendo assim, aos humanos restou apenas a opção de viverem afastados fugindo de seus novos governantes.

O tempo passou e a Era dos Homens virou somente uma sombra nos livros de história enquanto a dos Pássaros estava apenas florescendo… e embora Hatoful tenha toda essa história de fundo, o foco principal do jogo ainda assim é voltado para uma escola japonesa apenas para pássaros brilhantes. Ok, existe sim um motivo para os eventos do jogo acontecerem neste lugar, mas é um pouco frustante não podermos explorar mais desse mundo fictício.

hatoful2

O motivo ao qual me refiro está no propósito de uma escola para pássaros ter aceito nossa protagonista, que relembrando é humana, para conviverem no mesmo ambiente. Enquanto elas evoluíam e amadureciam o ódio para com a humanidade, ideias divergentes foram surgindo. Alguns desejavam a completa extinção da raça humana, outros afirmavam que era possível a coexistência entre ambas espécies, e como forma de experimento, nossa protagonista foi convidada para ingressar na escola e colocar essa teoria a prova.

Quando os humanos são as cobaias

O jogo é claramente uma paródia da nossa própria sociedade, os pássaros desenvolveram não só uma inteligência similar (ou superior) à dos humanos, como também acabaram desenvolvendo características bem especificas, como a vingança e ódio. O choque entre as duas facções que são pró e anti humanos convivendo com pássaros se assemelha muito com conflitos atuais.

Sim, eu acho que ter mantido o foco do jogo somente na escola e na cidade onde ela é situada uma grande perda para um enredo tão mirabolante, porém é necessário admitir que as rotas para cada personagem permite um grande desenvolvimento individual. Além disso, o jogo consegue mesclar muito bem situações cômicas com toques mais dramáticos, tornando uma experiência bem divertida.

Após você se relacionar com cada um dos personagens, o jogo ainda lhe disponibiliza uma rota final onde todo o enredo é desenrolado, e toda aquela atmosfera leve de tirar notas boas e sair com os passarinhos é jogada fora. Essa rota final é basicamente um soco no estômago tornando tudo mais sombrio e, de certa forma, horripilante.

Hatoful é como um quebra-cabeça que, ao juntar todas as peças do enredo com as situações individuais e o desenvolvimentos dos personagens, acaba gerando uma experiência bem interessante, mas que eu preciso admitir, não tão gratificante após tantas horas gastas. A esperança está na autora utilizar desse universo no futuro para desenvolver novas tramas e talvez assim alimentar a curiosidade que tal trama criou.