A palavra de ordem agora é interatividade

Várias gerações de consoles já se passaram, e as tecnologias e inovações vêm e vão com uma velocidade impressionante. Dez anos atrás estávamos deslumbrados com os gráficos do Playstation 2 e nem imaginávamos que hoje estaríamos com consoles mais potentes e jogando contra pessoas do mundo inteiro por meio da internet. Contudo, os videogames estão em constante evolução, e já se pode notar algumas tendências para os próximos anos. Muitas pessoas, principalmente as mais conservadoras, podem não concordar, mas os games estão tendo cada vez mais opções de interação com outros jogadores e a internet vem se tornando um dos atrativos mais importantes num console, e transformando-o numa central multimídia com direito a várias funções que não tem nada a ver com jogos.

Claro que o avanço mais óbvio, que existe em toda geração nova, são os gráficos, mas dessa vez os consoles atuais já apresentam jogos com visual tão incrível e realista que provavelmente as mudanças nesse aspecto não serão de grande importância, e talvez por isso a geração atual está demorando para dar lugar à próxima. Se depender da Nintendo, a maior melhoria estará na jogabilidade. Seus consoles vêm trazendo inovações importantes para esse quesito, mas infelizmente ela não está sendo seguida pelas concorrentes, que preferem manter o esquema tradicional de controles sem se arriscar muito. Provavelmente o “Playstation 4” e o “Xbox 720” terão outras opções, como o Move e o Kinect, mas estas não serão prioridade.

Então chegamos a um ponto em comum para todos os consoles: a interatividade. Desde que o advento da internet veio para os videogames, eles estão cada vez mais interativos, e para brigar de igual para igual com outros aparelhos eletrônicos, os consoles se tornaram centrais multimídia completas. Isso pode ser verificado pelo recente lançamento do Xbox Music, que funciona como o iTunes da Apple, mas para o videogame da Microsoft, e com interação com smartphones. Os próprios jogadores estão dando muito mais importância às funções secundárias do console na hora de comprar, e hoje em dia os videogames não servem só para jogar, mas também para assistir filmes, navegar na internet, ouvir música, armazenar dados e interagir com outros aparelhos.

É bem possível que a interatividade seja a palavra de ordem na próxima geração, mais ainda do que na atual. O Wii U, por exemplo, evoluiu muito nessa questão em relação ao seu antecessor, assim como o 3DS e PS Vita também avançaram bastante, e o fator de interatividade vem ganhando força na hora de decidir qual videogame comprar. Agora nos resta esperar e ver como os próximos consoles vão responder a isso.