Little Inferno, o novo indie game dos designers de World of Goo

Tudo bem que o verão está chegando e já está um calorão, mas aproveite algum dia de chuva para ter uma experiência piromaníaca com o adorável Little Inferno! Adorável sim, o teaser tem uma música cantada por crianças, com uma apresentação visual um tanto sombria, porém cativante e curiosa. A proposta é que você queime tudo o que tem, ganhe dinheiro com isso e compre mais itens para queimar. Por que jogar? Bem, vamos lá.

A história conta o seguinte. Não se sabe muito bem o porquê, mas o mundo começou a esfriar, então todos tem em casa uma lareira para se esquentar e fazer fumaça. Em primeira pessoa então, você compra itens, joga-os na lareira, ganha dinheiro, compra e habilita novos itens. Descrevendo assim parece algo automático e sem graça, porém todos os itens são interessantes e, para avançar, você deve ‘desvendar’ combos secretos. Um exemplo de Combo é o Bike Pirate, que basta você queimar o pirata e a bicicleta de madeira para ganhar dinheiro extra e cupons. Lógico que no decorrer do jogo aparecem combos mais complexos e com mais itens, mas este é o primeiro!

Para comprar itens, você abre os catálogos que são liberados com o andamento do jogo (e com o número mínimo de combos para cada um + uma quantia em dinheiro). Esses catálogos são divididos em setores, como comidas, bichinhos, coisas para queimar, etc. Todo item tem um tempo para aparecer, é como se fosse um período de entrega. Os itens mais caros e maiores normalmente demoram mais. Toda vez que você faz um combo, você ganha cupons que, quando utilizados, diminuem a demora de entrega do produto escolhido.

Se você jogou World of Goo e gostou, já tem um bom motivo para experimentar Little Inferno. O jogo tem um estilo que lembra o de Tim Burton, com cores neutras que são incendiadas por um fogo tão mágico quanto o real. Se os olhos das Goo Balls já traziam muita personalidade a elas, imagine neste jogo em todos os itens e personagens. Cada item foge do comum e tem comportamento diferenciado – quando vivo e depois quando queimado. A trilha sonora também está muito boa neste game, e é tão característica quanto a de World of Goo, que eu particularmente acho que está para uma aventura bem empolgante (inclusive está disponível para download ou para ouvir on-line aqui).

Outro item a ser citado e que está mais presente que em Goo são as formas de comunicação por correspondência – que tem inclusive uma tipologia parecida. Enquanto no primeiro você via nos níveis as placas assinadas pelo ‘Sign Painter’, aqui você recebe cartas com dicas e a própria história do jogo contadas. Elas são enviadas principalmente pela vizinha, que tem uma forma muito peculiar de escrita e um amor platônico por você; uma senhora da Tomorrow Corporation, nome real da desenvolvedora e da empresa fictícia que entrega os itens no game; e o ‘homem do tempo’, que passa informações sobre recorrentes nevascas.

Não pense que queimar em Little Inferno é a mesma coisa que você jogar uma pilha de jornais numa fogueira. Queimar aqui pode surpreender com um besouro deixando o fogo verde, planetas mudando a gravidade, um ursinho jogando fogo ou até um menino que explode e solta rosas. O game tem poucos elementos para que ele seja considerado um jogo de fato, por isso mesmo cada parte dele foi feita de maneira caprichosa, algo que é sempre ressaltado pela Tomorrow Corporation ao apresentar seu game. Foram recebidas muitas críticas quanto a isso, mas se for para não o chamar de jogo, pode-se dizer que Little Inferno é uma história com interação bem interessante. Apesar de tudo, na Steam ele está classificado como aventura e casual.

Depois de tanta descrição, vamos ao jogo! Ele está sendo adaptado para Mac e Linux, portanto a versão PC é somente para Windows. Para console foi lançado apenas para Wii U, utiliza o Pad e é vendido na eShop. O jogo custa $15, e pode ser adquirido pelo site próprio pagando com paypal, ou pela Steam, que em reais está por R$24,99.