Tudo que é preciso saber sobre Mists of Pandaria

Para a alegria de uns e o desespero de vários começou ontem a venda da quinta expansão de World of Warcraft, Mists of Pandaria, com direito até a evento comemorativo em São Paulo. Desde então já é possível criar Pandarens como personagens e selecionar a classe Monk, mas isso não é nem a metade do que esse update trouxe ao MMO.

A intenção aqui era fazer aquela lista gigantesca passando por todas as adições feitas no game, quando vimos que a Blizzard postou o vídeo ai do topo, com cenários, cidades, mapas e mais algumas novidades da parte visual – muito bonita, por sinal -, o que economizou uma boa quantidade de texto. Mesmo assim, ainda temos alguns tópicos para abordar.

O principal para os veteranos é que o level máximo foi expandido para 90, que foi alcançado na noite de ontem por uma Night Elf europeia, e todos os que estavam no nível 85 receberam uma quest para “começar sua jornada em Pandaria”. Isso não quer dizer que só os top players podem visitar o continente novo, qualquer um pode pagar uma viagem para lá apreciar o visual chinês dos mapas, mesmo que tenha acabado de começar seu primeiro char.

Fora os cenários e a expansão do nível máximo, os destaques de MoP ficam para dois modos de jogo novos: os desafios e os combates de pet. O primeiro é um paralelo ao sistema de masmorra, onde cinco pessoas entram na dungeon e precisam completá-la o mais rápido e o mais habilmente possível. Não é preciso dizer que os que cumprirem melhor o objetivo terão recompensas melhores.

Acho que a batalha de pets foi o que mais chamou atenção quando anunciaram essa atualização, quando choveu gente falando que WoW estava virando Pokémon, e isso é totalmente certo. Dois jogadores colocando para batalhar monstros que “capturaram” na selva. Cada um tem uma combinação de status diferentes. Aumentar o nível deles habilita novas skills. É possível trocar de monstro durante as batalhas. Me diz onde que isso não é Pokémon?

Na visão de alguém que nunca passou do level 20 em WoW, Mists of Pandaria parece uma boa adição ao currículo do MMO, mas as pessoas mais sabidas não dizem o mesmo: ele está a mesma coisa de sempre, e isso é ruim. Não há muita dinâmica no game, ele está envelhecendo, e jogos como Guild Wars 2 chegaram forte para renovar o cenário dos RPGs online. MoP vai ter uma importância grande para a Blizzard, seja para mostrar que algo precisa mudar, seja para indicar que está tudo indo muito bem para World of Warcraft, que é uma minoria aqueles que reclamam do game.

About Luigi Olivieri

Membro fundador dessa página maravilhosa que chamamos de PlayerTwo.com.br. Mestre pokémon, fã de rogue-likes e tuiteiro de plantão.