Competição também entre empresas: Nintendo vs Sega

No mês competitivo do Player Two, nós falamos sobre muita coisa. Desde campeonatos oficiais até disputas em locadoras, desde uma amistosa partida de futebol virtual até speedruns malucos, mas tudo sempre focando nos jogadores. Neste post, vou abordar um tema um pouco diferente: a competição, não entre pessoas, mas entre duas empresas, que se tornou uma rivalidade imensa de vários anos.

Muitas vezes os gamers não podem se dar ao luxo de comprar dois títulos do mesmo gênero, e portanto têm de escolher apenas um, o que gera concorrência entre jogos como FIFA e PES, Street Fighter e Tekken, Final Fantasy e Dragon Quest, Pokémon e Digimon, entre outras franquias. Mas a rivalidade mais acirrada da história dos games se deu entre um certo encanador bigodudo e um ouriço azul, especialmente nos anos 90. Os dois mascotes de duas gigantes da indústria se enfrentaram por gerações, cada qual com sua legião de fãs, sendo o ponto central de grande parte das discussões da época.

O que nós vemos hoje entre Samsung e Apple nem chega perto do que acontecia na década de 1990 com Nintendo e Sega. Ambas são duas empresas bem antigas, e que não começaram vendendo consoles logo de cara. A Big N foi fundada em 1889, mais de 120 anos atrás, e originalmente era uma fábrica de cartas para um jogo japonês chamado hanafuda. Com o tempo, passou a explorar outros negócios, desde táxis, utensílios domésticos e arroz instantâneo até – acredite – uma rede de motéis. Entretanto foi fabricando brinquedos que a Nintendo descobriu o caminho das pedras para se tornar uma gigante dos games mais tarde.

Já a Sega foi fundada em 1940 e começou fazendo máquinas de entretenimento como jukeboxes e caça níqueis, algo mais próximo dos jogos eletrônicos, mas só entrou nesse mercado bem mais tarde, em 1982 com empreitadas menores como o SG-1000. Porém o sucesso veio apenas alguns anos mais tarde com o lançamento de seu primeiro grande console caseiro, o Master System, e com ele o seu primeiro mascote: Alex Kidd. Porém o menino cabeçudo não tinha uma missão fácil, afinal o concorrente Nintendo Entertainment System contava com ninguém menos que Mario. Que Mario?

Mais tarde, a competição passou a ser entre Super Nintendo e Mega Drive, também conhecido como Genesis. A rivalidade se consolidou mais ainda e as campanhas de marketing bombardeavam as pessoas tentando convertê-las. “Genesis does what Nintendon’t” e “Now you’re playing with power… super power” se tornaram bordões das empresas. Eventualmente, graças aos exclusivos e ao apoio das thirds, o SNES acabou por enfraquecer o Mega Drive a ponto do Sega Saturn ser lançado precocemente para tentar combatê-lo, sendo esse um dos piores erros de planejamento da Sega, que pode ter levado ao seu declínio anos depois.

Mais tarde, a Big N lançaria seu Nintendo 64 e a Sega, o Dreamcast. Dois consoles que não tiveram vida fácil, especialmente quando surgiu um novo concorrente após anos de rivalidade polarizada. A Sony, que havia trabalhado com a Nintendo num projeto de console que roda CDs, resolveu entrar na briga e lançar seu Playstation, e a partir daí o cenário mudou completamente. A maior disputa da história dos games apresentou um desfecho triste, com a Sega encerrando suas atividades no mercado de hardwares e passando a se dedicar somente aos jogos.

Hoje, mais de dez anos depois, nós pudemos ver Mario e Sonic juntos no mesmo game em mais de uma ocasião, algo impensável no auge da década de 90. Contudo graças ao Super Smash Bros Brawl, muitas pessoas puderam realizar o sonho de ver os dois lendários mascotes rivais se enfrentando na base da porrada após anos de uma guerra fria que contribuiu muito para o avanço dos videogames.