Os melhores do ano de 2014

goty2014

Em 2013 fizemos um Melhores do Ano bem divertido, com algumas categorias bem peculiares. Neste ano – bom, não mais – estamos repetindo a fórmula passada, uma lista mais descontraída, mas com todos os motivos que cada um dos jogos foi escolhido para ser lembrado.

Ao invés de apresentarmos a opinião de apenas uma pessoa, fizemos uma reunião dos preferidos do ano por membros da equipe do PlayerTwo. Aproveitem nossa seleta lista de sucessos do ano

Melhor jogo sem hype: Child of Light (por André)

Pouca gente prestou atenção no Child of Light, pois a Ubisoft jogou – erroneamente – todos os holofotes na direção de The Crew, Assassin’s Creed: Unity, Far Cry 4 e Watch Dogs. No entanto, o jogo foi uma grata surpresa, apesar de mal divulgado. A direção de arte é fantástica, os cenários são todos desenhados, os diálogos rimam, mesmo em português, e o sistema de batalha por turnos sacia a ausência de bons RPGs dos últimos anos.

childoflight

Melhor exclusivo: Sunset Overdrive (por André)

Um dos jogos de maior destaque do Xbox One apareceu pela primeira vez em trailers debochados e cômicos, sem muita perspectiva. O game faz uma miríade de referências e não liga para fórmulas de sucesso pré-determinadas, apresentou um protagonista irreverente e uma série de mecânicas de jogo divertidas.

sunsetoverdrive

Melhor Mega Man wannabe: Azure Striker GUNVOLT (por Kaio)

O ano de 2014 realmente foi bem generoso para os amantes do robô azul mais famoso dos games. Se de um lado temos a comcept desenvolvendo Might no. 9, aquele que tem a maior chance de se tornar o novo Megaman, do outro temos Shovel Knight, um side-scrolling estilo 8 bits que foi desenvolvido pela produtora independente chamada Yatch Club Games e Azure Striker GUNVOLT, desenvolvido pela Inti Creates em colaboração com Keiji Inafune, o criador de Megaman. Todos os títulos listados têm seu charme – embora Might no. 9 ainda não tenha sido lançado – mas o prêmio de melhor jogo ao estilo Megaman vai para Azure Strike GUNVOLT.

A disputa foi acirrada entre SK e ASG; ambos os games são excelentes e únicos em suas mecânicas e histórias – um medieval e o outro futurista – mas quando se trata de Megaman, ASG captou de melhor forma a essência da série clássica com seus dashs, chefes e um arquirrival que usa um escudo e lembra o Protoman. Apesar de curto, o game possui um excelente enredo que abre muitas portas para o nascimento de uma promissora série, além de uma ótima jogabilidade com movimentos rápidos, tiros e com o personagem principal utilizando Choque do Trovão nos inimigos

azurestrikergunvolt

Melhor ambientação: This War of Mine (por Luigi)

Um jogo de guerra sem equipamentos pesados, rifles de precisão e tanques de guerra, isso é This War of Mine. Ao invés de se ater ao militar que deve salvar o mundo, os protagonistas são três pessoas comuns, com profissões, personalidades e vícios distintos, que precisam sobreviver nas sombras durante uma guerra civil que cercou sua cidade.

O clima construído no jogo é excepcional. Casas aos pedaços, sons de tiro ao fundo e a relação fria entre os outros sobreviventes transmitem o que os três principais parecem estar sentindo. A intensidade de pretos e brancos usados, e a música lenta no fundo, só ajudam a montar o clima pesado que é sentido, mas o ápice da imersão no jogo é quando duas crianças batem na sua porta pedindo por remédios para sua mãe. Qual é a melhor escolha, dar recursos importantíssimos para dois estranhos ou deixá-las ir de mãos vazias, e ter que viver com a ideia de que você pode ter matado uma mãe e deixado duas crianças desprotegidas durante uma guerra?

thiswarofmine

Melhor… do que esperava: Metal Gear Rising: Revengeance (por Tiago)

Joguei bem pouquinho dos antigos Metal Gear para Playstation 1, então aproveitei a oportunidade deste jogo ter sido lançado para PC. Vim num embalo a procura de jogos do mesmo estilo após ter curtido DmC Devil May Cry e confesso que não me arrependi. Mesmo jogando usando teclado e mouse, o jogo não decepcionou nos controles do personagem ou câmera (estou olhando pra você The Legend of Korra!).

O personagem Raiden, ou Jack The Ripper, protagonista do jogo, foi bem desenvolvido no estilo “brutos também amam” e que, diferente de Adam Jensen (Deus Ex: Human Revolution), abraçou sua transformação cibernética, decidindo terminar o trabalho dos Patriotas. Com vários combos divertidos e ataques com a espada presa em sua perna, fica aqui minha recomendação de Metal Gear Rising: Revengeance – e de seus DLCs, Jetstream e Blade Wolf, que mostram a história de Samuel Rodrigues (Vai, Brasil!) e IF Prototype LQ-84i respectivamente.

metalgear

About Luigi Olivieri

Membro fundador dessa página maravilhosa que chamamos de PlayerTwo.com.br. Mestre pokémon, fã de rogue-likes e tuiteiro de plantão.