A disparidade entre a série Arkham e os demais games de heróis

batman

Recentemente fechei os três primeiros jogos da série Arkham. Nunca fui um fã muito fervoroso do homem morcego, assim como das produções da DC Comics, mas confesso que essa série me ganhou muito rapidamente, tanto que devorei os três títulos – Arkham Asylum, Arkham City e Arkham Origins – em cerca de 20 dias e é claro que estou planejando jogar Arkham Knight muito em breve.

Encerrado esse preâmbulo, pergunto: por que essa franquia é tão boa enquanto a maior parte dos games de heróis é horripilante?

Diferente da maior parte dos jogos que vestem cuecas por cima das calças, Arkham é uma série original feita exclusivamente para os games, e não uma mera peça de publicidade para um lançamento cinematográfico.

Via de regra, os jogos de super heróis não passam de bibelôs de Hollywood, servindo apenas para divulgar um filme de mesmo nome e arrecadar dinheiro fácil.

Como já tratamos nesse texto, jogos baseados em filme geralmente são terríveis por uma série de motivos. Além das dificuldades de de adaptar a linguagem do cinema para os games, transformar um filme de 2 horas em um game de 12 horas não é das tarefas mais fáceis, ainda mais com as limitações criativas impostas pelos próprios produtores dos filmes.

Raramente essas adaptações são delegadas a estúdios grandes e competentes, ficando a cargo de desenvolvedores ainda sem tanta experiência. O prazo apertado para se adequar ao lançamento da película também é um obstáculo e tanto.

Alguns poucos exemplos de jogos de filmes bem sucedidos mostram claramente esse cenário. Goldeneye 007 é sempre um exemplo a ser exaltado. Levou 2 anos para ficar pronto após o lançamento do filme de mesmo nome e é até hoje um dos melhores jogos de tiro em primeira pessoa de todos os tempos.

Recentemente o mesmo aconteceu com Mad Max. A adaptação do filme, que estreou em maio desse ano, será lançada nos consoles apenas em setembro. Não há como prever se o game se sairá bem, mas o fato é que os produtores não quiseram se ater ao prazo do longa, o que daria muito mais visibilidade ao jogo. Provavelmente priorizaram a qualidade do game em detrimento da cortina de publicidade causada pelo alvoroço em torno do filme.

É claro que o jogo pode muito bem ser uma bomba, então estamos apenas especulando. A questão é que quanto mais os games são lançados sem vínculos restritivos com filmes, mais sua qualidade aumenta e quem tem a ganhar com isso somos nós, os jogadores.