Quick Look – The House of the Dead: Overkill

topohotdoverkill

Um tipo de jogo eu que não curtia muito até comprar meu Wii era OnRail Shooter, mas com uma quantidade enorme de títulos desse tipo para o console, eu comecei a gostar. Um desses, e acho que o melhor que joguei até agora, é The House of the Dead: Overkill. Ele mistura uma paródia de games de terror com a seriedade de shooters de um modo genial.

Depois do break você confere o Quick Look completo de THotD:Overkill.

++ Pontos Positivos:

[Humor] O intúito da Headstrong Games ao criar o jogo era explorar o humor por trás dos shooters clássicos, o que funcionou com esplendor. As músicas, personagens e história arrancam muitas risadas a toda hora.

[Personagens] Os personagens foram bem trabalhados no game, mas não sua aparência, e sim sua personalidade. Temos um agente secreto sem nome, um chefe do crime e um detetive insano (o mais legal), clássicos de todos os jogos do estilo, mas com características bem legais (o policial por exemplo, a cada 5 palavras ditas por ele, 3 são xingamentos).

[Director’s Cut] É o modo de jogo mais legal. O Story Mode é fácil demais se você está jogando de dupla, mas após terminá-lo e liberar o Director’s Cut fica explícito que esse era o foco da equipe produtora. As fases são muito mais longas e desafiadoras, fazendo que o jogador use pelo menos um “Continue”.

[Músicas] Elas são inspiradas em Rap, Hip Hop e Country, além do Rock básico. Algumas músicas também vão pro lado da brincadeira, como uma com o nome muito peculiar: “What The Fuck?!”.

hotd1

Pontos negativos:

[Gráficos] Apesar dos gráficos fazerem parte do figurino palhaçada de House of the Dead: Overkill, ele devia ser um pouco mais trabalhado. O game tem partes que os erros na imagem são bizarros, como acessórios de personagens que desaparecem e reaparecem na próxima cena.

[Story  Mode] Como eu disse antes, o Story Mode é muito fácil de terminar. As fases são curtas, os boss não oferecem o mínimo perigo e você mata os não muitos zumbis com facilidade.

[Zumbis com alvo fixo] É incrível como os zumbis preferem muito mais bater no player 1 do que no 2º player, sempre que jogo como player 1 apanho muito mais. Não sei se isso é de propósito, mas deviam ter corrigido esse fato.

[Queda de framerate] As quedas de framerate são ridículas e acontecem com uma certa frequência. Elas acontecem mais quando a tela se move, lagando demais o jogo.

Curiosidade sobre The House of the Dead: Overkill: O jogo tem o recorde no Guinness de  “maior número de palavrões ditos em um game”, contabilizando 189 vezes que a palavra “fuck” foi pronunciada.

About Luigi Olivieri

Membro fundador dessa página maravilhosa que chamamos de PlayerTwo.com.br. Mestre pokémon, fã de rogue-likes e tuiteiro de plantão (@luigilol).