Review – Castlevania: The Dracula X Chronicles (PSP)

castlevania topo

Castlevania sempre foi uma série extremamente cultuada pelos fãs desde seu lançamento em ’86. Com mais de 25 títulos que vão desde o NES até o PS3/Xbox 360, sem dúvidas os saudosistas conhecem de cor a  eterna batalha entre o temível Conde Drácula e da família de caça-vampiros Belmont. Mesmo que você seja um jogador que está descobrindo a série atualmente não se preocupe, pois a Konami tratou de lançar um reboot da série intitulado Castlevania: Lords of Shadow que foi lançado em 2011 para o PS3 e Xbox 360 e esse ano para o PC.

Mas pensar na série clássica sem dúvidas leva o jogador a lembrar das grandes aventuras vividas por Trevor, Simon, Richter contra inúmeros demônios e monstros que ameaçavam a paz. Este último, em especial, foi protagonista de Dracula X: Rondo of Blood, uma obra prima que havia sido lançada em 1993 para o PC Engine e apenas em no Japão. Para a sorte dos jogadores, um remake foi lançado para o PSP em 2007 intitulado Castlevania: The Dracula X Chronicles, que tem belos motivos para ser um item indispensável na coleção de qualquer fã!

Castlevania: The Dracula X Chronicles
Desenvolvedora: Konami
Publisher: Konami
Plataforma: PSP

A Konami foi realmente feliz quando optou por fazer esse remake. Não só por melhorar os gráficos, mas também por atualizar os diálogos e dar uma nova cara à excelente trilha sonora. Para quem jogou o título original,  Dracula X Chronicles pode parecer  um pouco diferente na primeira impressão. A sensação é um pouco estranha, afinal de contas, este game deveria ser  apenas uma versão mais “bonita” que o original, contando com gráficos e textos atualizados e mantendo a jogabilidade do título impecável.

A coisa não é bem por aí pois logo de cara  percebe-se que uma novidade não muito agradável é o fato do jogo ser – ou parecer – um pouco mais lento. Talvez essa tenha sido uma jogada para que o jogador tivesse a oportunidade de apreciar cada cenário e inimigos refeitos. Aliando-se ao fato dessa “lentidão proposital” outra novidade que pode ou não ser boa é o fato do jogo ser mais fácil que sua versão original. Acabando aqui com os pontos negativos do título tais adaptações provavelmente foram feitas para se adequarem aos jogadores desa geração.

castlevania meio

Partindo para o que temos de melhor nesse remake uma parte que impressiona são seus gráficos. Absolutamente todo o jogo foi refeito, desde seu prólogo até a última fase. Chefes receberam novas animações. cenários inteiramente em 3D; até mesmo os personagens não escaparam dessa atualização visual e receberam uma caprichada em seus traços que os deixaram ainda mais únicos.
Como se não fosse o bastante, para não deixar o jogo ser um remake “mais do mesmo”, a Konami tratou de fazer umas mudanças também nos cenários, aumentando ainda mais seu  fator replay.

Outro ponto válido que deve ser mencionado é que durante a jogatina Richter era “obrigado” a salvar quatro prisioneiras de Drácula ao longo das fases para completar 100% do game: Maria, Iris, Annette e Tera. Tirando Maria que se torna uma personagem jogável, Iris e Tera dão ao personagem principal habilidades totalmente novas que permitem Richter a quebrar paredes de gelo e destruir Blood Skeletons, coisas exclusivas de Dracula X Chronicles. Não fosse o bastante, ao salvar as 4 mulheres, Drácula – que antes possuía duas formas como último chefe – ganha uma terceira que pegará qualquer jogador desprevenido.

Se mesmo com todos esses motivos você ainda se manter cético quanto a compra desse título saiba que o melhor foi guardado pro final. O jogo conta com o modo Sound Test onde o jogador pode escutar todas as faixas disponíveis, mas para isso ele deve coletá-las ao longo das fases, localizadas em pontos estratégicos.

E falando em colecionáveis ainda é possível a obtenção dos jogos originais Castlevania: Rondo of Blood e Castlevania: Symphony of the Night. Sim, você não leu errado, é possível desfrutar de ambos os títulos em sua melhor forma. Enquanto Rondo of Blood foi finalmente traduzido de maneira oficial, Symphony of the Night sofreu uma mudança nos diálogos e nos dubladores, além de introduzir uma batalha com Maria e mais dois Familiars para se achar.

VEREDITO FINAL:

Castlevania: The Dracula X Chronicles certamente entra na categoria must-buy do PSP. Uma mídia, três jogos, sendo dois clássicos e um remake é algo que não se vê todo dia, ainda mais pegando títulos tão consagrados. Quem já conhece se maravilhará relembrando os clássicos no melhor estilo e pra quem não conhece a série essa é a melhor maneira de se fazer isso!

castlevania nota

About Kaio Rodrigues

Único sobrevivente dessa página maravilhosa chamada PlayerTwo.com.br, junto com o fundador. Amante de jogos independentes de fan-made, passo parte do meu tempo sonhando em um dia ser jornalista de games.