Review – Mario Kart 7

Tão certo quanto especial do Roberto Carlos no fim de ano na Globo, é o lançamento de um game da série Mario Kart para uma recém lançada plataforma Nintendo. Surgido na segunda “leva” de lançamentos do Nintendo 3DS, o game de corrida do encanador italiano veio com pequenas novidades, mas ainda é o velho Mario Kart que conhecemos.

Mario Kart 7
Desenvolvedora: Nintendo EAD, Retro Studios
Publisher: Nintendo
Plataforma: Nintendo 3DS

Normalmente seria nesse parágrafo que eu escreveria sobre a história do jogo e das personagens, mas desta vez eu vou fugir à “regra” por motivos óbvios. Não há enredo algum e os personagens já são todos aqueles que conhecemos, não há nem mesmo uma desculpa para reunir toda a turma para um racha. Não que isso faça diferença ao título, naturalmente.

Aliás, o primeiro tópico digno de destaque ao se jogar é na escolha do personagem. Pela primeira vez que joguei vi as velhas caras conhecidas: Mario, Luigi, Toad… Enquanto decidia qual seria o primeiro personagem, pensei: “Cadê o Waluigi? Beleza, tem que zerar o jogo primeiro.” Depois de ver os créditos mais de vinte vezes fui abatido pela certeza, meu corredor favorito foi cortado. Esse é um dos pontos negativos do game, a retirada de personagens divertidos, como o Waluigi, pela inclusão de personagens sem carisma algum, como o Wiggler e o Metal Mario.

Quem acompanhou as notícias acerca do lançamento do game também ficaram um pouco surpresas com o título: “Mario Kart 7”. Era de praxe esperar algo como “Mario Kart 3DS” se fôssemos seguir a lógica dos títulos anteriores. Os produtores justificaram que esse era o sétimo lançamento da saga, e que é uma brincadeira sobre esse ser o número da sorte. Número místico, número de Deus, 7 pecados capitais, 7 cores do arco íris e até os 7 anões. O número “7” é cercado de sentidos “ocultos” e pequenas “teorias de conspiração”, mas ele se encaixa como uma luva no título. Não porque o jogo seja um “bicho de 7 cabeças”, mas é porque a sorte é o fator fundamental para a vitória e ó que mais influência na jogabilidade.

A jogabilidade continua muito semelhante ao experimentado em Mario Kart Wii, principalmente em relação ao sistema de Drift. Essa não foi uma alteração que me agradou, particularmente. A manjada apelação do snaking era o único recurso que os personagens leves tinham para tentar compensar a velocidade alcançada pelos personagens pesados. Quando o jogador resolve jogar offline, chega a ser desleal a maneira abusiva com a qual a inteligência artificial despeja cascos azuis em cima do primeiro colocado. Para conseguir 3 estrelas em todas as “Cup”, o jogador precisará “pintar o sete”. O sete se faz presente também na denominação do novo item, o Lucky Seven. Com ele, o jogador fica rodeado por sete itens que podem ser usados indiscriminadamente. Também fazem sua estréia a Fire Flower e a Super Leaf.

Os gráficos estão belíssimos, mas isso já era de se esperar, afinal o esmero com o cenário e com a combinação das cores sempre foi característica dos jogos da Nintendo. Infelizmente, não é possível apreciar muito das corridas utilizando o efeito 3D, pois apesar de evidenciar a beleza do título, cansa  demais a vista do jogador. Infelizmente esse ainda é um revés que o 3DS enfrenta em seus títulos.

Se o jogador quiser exigir um pouco mais dos efeitos 3D do portátil ele pode se aventurar pelo novo modo de visualização do jogo. Em Mario Kart 7, foi implementada uma visão em primeira pessoa, com o ângulo de visão do jogador de dentro do cockpit dos carros. Foi uma adição positiva, que expande um pouco a experiência de “pilotar” os karts, mas que será aproveitada por poucos minutos pelo jogador. A razão? É impossível fazer curvas no traçado ideal da pista, e quando jogado utilizando o modo 3D, torna o incômodo da visão ainda maior.

Mesmo com esses deslizes, há um fator que compensa enormemente esses pontos negativos, e cobre com folga o investimento. Multiplayer. Comprar um título como esse e jogar sozinho é o mesmo que insultar o seu dinheiro. Seja competindo com amigos localmente ou disputando pegas via internet, são os rachas contra pessoas “de verdade” que fazem valer à pena cada centavo gasto com o título. Não importa o horário que você queira jogar, você sempre vai encontrar no mínimo mais 5 pessoas para jogar online. Aliás, o 3DS retira uma grande inconveniência em relação ao título do DS, a adição de Friend Codes manualmente. Como seus amigos já estão registrados individualmente por aparelho é muito mais fácil reunir todo mundo online.

Outra novidade implantada no título é o caráter “multiuso” dos veículos, pois agora eles correm sob a água e até voam. Ok, voar é exagerar um pouco, pois eles só planam, quando saltam de uma altura muito elevada. O fato dos carros “nadarem” elimina uma velha preocupação dos jogadores menos habilidosos de cair na água. Ser empurrado para fora da pista não representa um problema tão grande agora.

VEREDITO FINAL

Não há nenhuma surpresa, apesar de alguns deslizes esse é o Mario Kart que gostamos. Candidato à melhor multiplayer do 3DS, o jogo consegue cumprir seu objetivo final, divertir o consumidor. Seja com os amigos ou com desconhecidos, um racha online cai bem em qualquer hora.

  • Estragaram o jogo on-line

    Queria saber que p*rra é aquilo, quando uns jogadores LITERALMENTE voam com o carrinho de um lado pro outro (sem usar o para-quedas, eles voam enquanto correm em terra). Já vi umas 3 vezes isso, bizarro.

    Outras coisas que reparei, é que quando eles caem em um buraco, eles já saem direto na frente correndo com seus carros, é como se o cara entrasse no buraco e continuasse correndo pelo buraco e já saia na frente soltando turbo… outra coisa que notei, é que esses tais apelões quando passam naqueles quadrados para pegar o poder de algum item como cogumelo, torpedo, estrela e etc, eles passam por dentro desses quadrados e não pegam aquele quadrado, mas mesmo assim já saem soltando turbo, torpedo e etc… Enquanto isso os caras que estão nas últimas colocações caem no buraco e você vê a nuvenzinha colocando eles de volta na pista e quando passam pelo quadrado no meio da pista, eles pegam o quadrado e o quadrado some por um certo tempo…

    Ainda bem que a pontuação vai até o sexto colocado. Quando esses apelões se explodem lá na frente, as vezes consigo ultrapassar e consigo uma boa colocação nos últimos segundos como a terceira ou quarta, raramente a segunda colocação…Quando não tem nenhum ladrão safado roubando, eu chego a tirar a primeira e a segunda colocação na raça… Que graça tem roubar o jogo com algum cheater ou sei-lá o que? Não sabe disputar uma corrida honesta por serem muito ruim, vão jogar o jogo da barbye…

    Lamentável….