Runic Games fala sobre o mundo de Torchlight II

Como prévia da apresentação na E3, a Runic Games preparou uma série de artigos para o blog oficial de Torchlight II mostrando o que haverá de novo e bom no game. O primeiro da série apresentou novas raças de monstros, como os Ezrohir e os Varkolyn.

O segundo cobriu as músicas do título, gravadas na Eslováquia. Torchlight II, por ser um game muito maior que o anterior, precisou de muito mais músicas, que foram compostas por Matt Uelmen com o apoio de uma orquestra de percussão e cordas do país.

nessa semana vamos dar uma olhada no desenvolvimento de mapas, que foi muito ampliado. Além das dungeons, totalmente redesenhadas e, como sempre, organizadas randomicamente, TII traz novas cidades e principalmente mapas ao ar livre.

Haverá dois tipos de mapas externos no título: os chamados Passes e os Overworlds. Os Passes são caminhos estreitos e lineares que ligarão doi lugares diferentes. A intenção da sua gameplay é de precisarmos “forçar o caminho através dele” para os outros níveis.

O Overworld é o oposto, um mapa gigantesco e nada linear em que será possível escolher livremente por onde andar. O principal aqui é realmente a extensão e a liberdade, em que teremos a possibilidade de explorar de 18 a 23 salões (diferente dos seis ou sete que haviam em cada mapa do primeiro game). Esses mapas também trarão algumas dungeons randômicas e outras relativas a quests e alguns side events.

Pelo que foi mostrado nessas últimas semanas, temos um candidato a Game of the Year vindo por ai: em julho desse ano, para PC e Mac.

About Luigi Olivieri

Membro fundador dessa página maravilhosa que chamamos de PlayerTwo.com.br. Mestre pokémon, fã de rogue-likes e tuiteiro de plantão.