The Crew mal saiu e já aponta para o futuro

the cre

Estive jogando a versão beta de The Crew nos últimos dias e percebi que o game é a expressão maior do caminho que os jogos vem tomando recentemente. Apesar de nem ter sido lançado, o título mostra claramente a que veio e aponta na direção da interatividade e da integração, duas grandes tendências para os videogames.

O multiplayer local nunca estará descartado – o excelente Towerfall Ascension está aí para provar isso – mas em um mundo cada vez mais conectado é impossível negar a importância de se poder jogar com seus amigos via internet como se estivesse um do lado do outro.

Faz tempo que venho escrevendo sobre a nova geração e avaliando que o salto gráfico pouco notável não deve ser parâmetro para medir a relevância dos novos consoles. O importante mesmo dessa vez é que PS4 e Xone abriram caminho para um novo leque de possibilidades com a capacidade de rodar multiplayers massivos.

O MMO deixou de ser um elemento exclusivo do gênero RPG e passou a ser incorporado por qualquer game que tenha alguma característica coletiva. Agora um jogo qualquer pode ter aspectos de role-playing implementados em suas mecânicas, como customização e curva de desenvolvimento, e ser tratado como multiplayer massivo.

The Crew é essencialmente um MMO de corrida que prioriza o aspecto social e customizável, permitindo que você jogue, sem nenhum lag ou prejuízo em qualidade técnica, com seus amigos cooperativamente em qualquer missão ao longo do game. O mapa aberto é imenso – outro fator inimaginável na geração antiga – e completamente integrado entre todos os jogadores que estão online.

Estamos apenas no começo de uma nova revolução no jeito de se jogar videogame. Enquanto os MMORPGs se acomodaram com fórmulas de sucesso definidas, não havia muita inovação na maneira de se aproveitar essas funções. Agora teremos muito mais possibilidades, e The Crew é um dos títulos que largou na frente nesse novo paradigma. Algo muito bom vem por aí nos próximos anos se os desenvolvedores souberem trabalhar com essas novas ferramentas.